Blog Dicas sobre fitness

UNESCO pede que países invistam em educação física para ajudar na recuperação do Covid-19

UNESCO pede que países invistam em educação física para ajudar na recuperação do Covid-19

01 de Abril de 2021

A UNESCO, Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, lançou um material defendendo que a Educação Física de qualidade pode – e deve – ser uma ferramenta poderosa na proteção e recuperação dos jovens durante a pandemia do coronavírus.

Segundo o estudo, a atividade física pode colaborar tanto com a prevenção dos danos, já que pessoas obesas apresentam quadros de saúde mais graves, quanto com a recuperação dos infectados, nos aspectos físicos e emocionais.

“A Educação Física de qualidade é uma ação de baixo custo e alto impacto, que reduz os gastos com saúde e melhora o aprendizado e a resiliência dos jovens”, conta Gabriela Ramos, Diretora-Geral Assistente para Ciências Humanas e Sociais da UNESCO. “A participação em Educação Física de qualidade pode reduzir a obesidade em 30%, aumentar os resultados acadêmicos em 40%, e colaborar para diminuição da depressão e ansiedade em até 30%, principalmente em meninas”, explica ela.

O material defende que o chamado “novo normal” só será possível com práticas de inclusão e resiliência, e que o esporte contribui para ambos.

“A inatividade física pode ser considerada uma pandemia paralela, contribuindo para a morte prematura de cinco milhões de pessoas por ano”, afirma o artigo da UNESCO.


Educação Física x Educação Física de qualidade


No material da UNESCO, existe uma distinção entre Educação Física e Educação Física de qualidade. Enquanto a primeira se limita aos aspectos do corpo e movimento, a segunda enxerga nas atividades físicas uma forma de desenvolver não só a saúde, mas também as habilidades sociais e emocionais dos jovens.

Isso precisa ser feito de forma intencional pelos professores, considerando questões das aulas como frequência, diversidade dos esportes, inclusão e valores positivos.


Os benefícios de investir na Educação Física de qualidade


Políticas públicas de promoção da atividade física, segundo a UNESCO, podem trazer grandes benefícios, entre eles:

– Aumento da expectativa e qualidade de vida
– Incentivo aos jovens para serem cidadãos responsáveis e ativos
– Desenvolvimento de habilidades necessárias para os desafios do século XXI
– Redução dos riscos de doenças cardíacas, câncer e diabetes
– Redução dos custos com a saúde da população
– Melhores possibilidades profissionais em função da vida ativa
– Aumento do rendimento acadêmico
– Familiares ativos tendem a ter filhos ativos e famílias mais saudáveis

Já os prejuízos de não se investir em Educação Física de qualidade…

– 3,2 milhões de mortes prematuras por ano no mundo
– Responsável por 6% das mortes no planeta
– Crianças só passam de 2% a 3% do tempo ativas nas escolas
– Causa mais mortes do que o cigarro

E como está a situação nas escolas do mundo todo?

– 97% dos países têm aulas obrigatórias de Educação Física
– Mas…. 20% não tem um currículo oficial da disciplina
– Em 54% dos países, a disciplina da Educação Física parece ter menos importância do que as demais
– E somente 53% dos países têm professores de Educação Física devidamente formados

O material da UNESCO está disponível, apenas em inglês, aqui.


via IMPULSIONA